Descubra os métodos para aprender idiomas que têm mais a ver com você

Como você estuda um novo idioma? Lendo? Ouvindo música? Vendo filmes? Descubra aqui algumas dicas para acertar na hora de aprender, e se inspire com a história de Myra, nossa poliglota holandesa que aprendeu diversos idiomas depois de adulta.
Author's Avatar

“Eu não me dou bem com idiomas”. Esta é uma das desculpas mais faladas quando o aprendizado não anda como gostaríamos. Mas, convenhamos, o que isso realmente significa? Que você odiou um dos métodos para aprender idiomas? Que não curtiu o professor? O livro? Oras!

Claro que existem fatores que influenciam muitíssimo no aprendizado, como quantos idiomas você já aprendeu, quanto tempo você investe em aprender, qual é a sua motivação, se você sabe aprender… Embora alguns destes fatores não possam ser mudados, não significa que você não possa aprender. Muito pelo contrário, uma vez que você encontra os métodos para aprender idiomas que têm mais a ver com você, você consegue estabelecer objetivos possíveis e usar diferentes recursos. Tudo é possível!

E, estamos aqui para ajudar você a encontrar o método mais adequado:

1. Livros ou vídeos? Qual destes métodos para aprender idiomas que você gosta mais?

Todo mundo conhece uma maneira que dá mais resultado na hora de estudar:

  • com suas anotações ou dicionários
  • com imagens ou áudio
  • com aplicativos, vídeos ou música
  • caminhando pela sala enquanto aprende

Um conselho importante: tente combinar o máximo de métodos. O cérebro aprende melhor quando usamos todos os 5 sentidos do corpo.

Usar todos os nossos sentidos cria mais conexões no nosso cérebro, o que faz com que você memorize melhor as regras gramaticais e o vocabulário, já que diversas áreas estão trabalhando ao mesmo tempo. Usar a técnica de escrever notinhas, procurar e escrever o significados das palavras, ouvir como é pronúncia e tentar associá-la a imagens ou objetos reais da sua casa… tudo isso pode ajudar na hora de aprender, portanto deixe a criatividade rolar solta! E, se mesmo assim você não descobrir que tipo de estudante você é, por exemplo, mais visual ou auditivo, então experimente outros métodos e tente conectá-los.

2. Estude como se isso já fosse parte de sua rotina

Faça com que o aprendizado seja parte da sua vida diária, conecte-o com outras atividades fora do seu curso de idiomas. Você curte ler notícias no celular pela manhã? Que tal procurar as mesmas matérias mas no idioma em que você está aprendendo? Mesmo que você não entenda muito no começo, só de ler as manchetes você já vai estar treinando o que aprendeu. Você escuta música indo para o trabalho? Que tal colocar naquela banda que canta no seu novo idioma? Assim você já se acostuma também com a fonética da língua, e o melhor, músicas muitas vezes ficam na cabeça! Cinema? A mesma lógica, deixe de lado a versão dublada e assista a tudo no som original.

Você tem algum hobby que possa combinar com o seu estudo?

Independente de como você escolher estudar, o importante é não parar! Aprenda um novo idioma sempre com a Babbel!

3. Ajuda de amigos “bons” e “ruins”

É muito comum quando você aprende um novo idioma encontrar semelhanças com o seu idioma nativo e com outros que você já tenha aprendido. Isso é bom para os seus estudos! Use ativamente essa estratégia aproveitando não só as  semelhanças mas também as diferenças entre essas línguas que você já conhece. Os falsos amigos podem ajudar na hora de lembrar daquele erro engraçado, e claro, bons cognatos são sempre bem-vindos na hora de uma conversa.

4. Unir o útil ao agradável

Aprender um idioma nem sempre é fácil, mas claro, também não é um martírio. Tente combinar o “útil” ao “agradável”. Os idiomas e as culturas são inseparáveis. Se informe sobre o país do idioma que você está aprendendo e quem vive lá. Quais são os costumes? Qual a especialidade culinária? Se dê a oportunidade de conhecer pessoas que falam esse mesmo idioma, fazendo um tandem ou até mesmo via Skype. Converse com essas pessoas e treine o que você aprendeu.

Lembrando, nem sempre é necessário sair do seu país para aprender outra língua. 

5. Pausas e repetições, duas amigas para ter

Com certeza uma hora você vai sentir aquele desânimo, ter a sensação de que você não faz nenhum progresso ou que esqueceu tudo. E, acreditamos que isso é normal.

Nossas dicas:

  • faça pausas
  • aprenda um pouco por dia em períodos curtos de tempo
  • foque na hora de fazer as lições
  • repita regularmente

6. Tenha metas realistas

Aprender um idioma não significa necessariamente dominá-lo a ponto de falar como alguém nativo. Estabeleça metas que você consiga alcançar. Mas cuidado, estas também não devem ser tão fáceis a ponto de deixar o aprendizado chato. O melhor de aprender sempre é que você vai ver os seus avanços imediatamente, seja em um novo modo de aprender a falar tudo bem, ou dizer aquela frase de impacto no seu novo idioma. Isso vai motivar muito você, acredite!

APRENDER UM NOVO IDIOMA NÃO É UM BICHO DE 7 CABEÇAS!
COMECE COM A BABBEL
Qual idioma você gostaria de aprender?