Dois irmãos gêmeos e mais de vinte idiomas: apresentando os Irmãos Superpoliglotas!

Meu irmão e eu aprendemos idiomas juntos desde os nossos oito anos de idade. Agora que cada um de nós fala mais de 9 idiomas, eu posso olhar para trás e dizer: ter um parceiro de estudos foi útil, mas ter um concorrente foi muito mais estimulante.
06/03/2015

Treinar com alguém pode tornar a sua ida diária à academia muito mais fácil, da mesma forma que aprender um idioma com um/uma companheiro/a de estudos. E, se essa pessoa souber mais que você ou começar a progredir mais rápido, bom, isso, com certeza, vai se transformar uma batalha! Uma rivalidade saudável é sempre bem-vinda no aprendizado de idiomas. Ter alguém competitivo ao seu lado pode tornar tudo muito mais divertido.

Eu somente percebi o quanto meu irmão era vital para o meu desenvolvimento no aprendizado de idiomas quando entrei na adolêscencia. Nossos pais agendaram um pacote de férias para Portugal e, antes da viagem, eu e o Matthew pegamos emprestado um livro com um curso de português na biblioteca local. Nós começamos a aprender juntos, ouvíamos as fitas-cassete enquanto dividíamos o livro e fazíamos os exercícios. Depois de alguns dias de estudo de português, volto para casa após fim de um jogo de futebol particularmente terrível e descubro que o Matthew já tinha completado o capítulo 4 depois do seu treino de basquete, não deu para acreditar! Apesar de estar exausto, eu simplesmente tinha que alcançá-lo. Desistir não me deixaria apenas de baixo-astral, isto o deixaria chateado também. Esse é o lado bom de uma rivalidade saudável: ela faz com que você atinja o seu melhor.

Aprender junto simplesmente duplica seus recursos. Você não terá somente alguém que pode ajudá-lo com suas dúvidas, mas você ganhará uma pessoa com quem pode conversar no idioma escolhido diariamente ou semanalmente. Além disso, a presença do seu “rival” pode significar uma extra dose de motivação: você, provavelmente, se manterá mais motivado a estudar ao ver o progresso que ele está fazendo. E não é so isso, vocês dois lembrarão um ao outro das obrigações e das decisões que vocês tomaram. Se você tinha se comprometido a aprender à noite, mas, na verdade, você poderia tirar aquele cochilo e adiar a lição daquele dia, o seu companheiro/rival o fará a desistir dessa ideia. Claro que a rivalidade precisa sempre permanecer profissional, limpa e, acima de tudo, saudável. Nada de trapaças!

Ter um companheiro não significa necessariamente que vocês devem aprender o mesmo idioma também. Pode ser bastante divertido e útil se você estudarem idiomas diferentes. Por exemplo, eu estou aprendendo húngaro e albanês atualmente enquanto o Matthew está aprendendo holandês e papiamento. Nós aprendemos muitos idiomas juntos durante todos esses anos mas nossos interesses, às vezes, são diferentes. Apesar disso, nós ainda somos capazes de testar os conhecimentos um do outro tomando o vocabulário, fazendo perguntas sobre um texto, etc. Não é extremamente necessário, nesse caso, que aquele que está tomando a lição também saiba o idioma. Um bom parceiro é alguém que gosta de testar você e que não se deixa abater por desculpas bobas!

Eu, com certeza, gostaria de aprender holandês e papiamento no futuro, e tenho certeza que Matthew também tem interesse em aprender as línguas nativas de Bartok e Kadare. Quando a hora chegar, será bastante útil ter um parceiro que já sabe o idioma que eu quero aprender.

Quer aprender um novo idioma?
Comece agora com Babbel
Author Headshot
Michael Youlden
Michael Youden é de Manchester, Inglaterra. Sua fascinação por outras línguas e culturas o tem levado a uma vida aprendendo novos idiomas e viajando. Ele, atualmente, trabalha e vive em Berlim.
Michael Youden é de Manchester, Inglaterra. Sua fascinação por outras línguas e culturas o tem levado a uma vida aprendendo novos idiomas e viajando. Ele, atualmente, trabalha e vive em Berlim.

Artigos recomendados

Este ano eu decidi… aprender meu 16° idioma

Este ano eu decidi… aprender meu 16° idioma

Junto com o seu irmão gêmeo, Matthew, Michael Youlden aprendeu mais de doze idiomas desde os seus oitos anos de idade. Logo, se você resolver aprender um idioma – e quiser saber como seguir adiante – você deve ouvir esses conselhos.
Escrito Por Michael Youlden
Porque eu escolhi aprender idiomas minoritários

Porque eu escolhi aprender idiomas minoritários

Mandarim, espanhol, inglês e árabe podem ser, talvez, os “superidiomas” da era moderna, mas idiomas minoritários como catalão, bretão e córnico são fundamentais para a diversidade do nosso DNA cultural. E esses idiomas não estão morrendo. Eis o porquê, aqui.
Escrito Por Michael Youlden
Como Dar Nome Aos Animais Em Alemão

Como Dar Nome Aos Animais Em Alemão

Quando destrinchados em seus componentes individuais, os nomes dos tão bem conhecidos animais se transformam em novas criaturas bizarras.