Fale um idioma como sempre sonhou

Aprenda idiomas como nunca. Baixe o aplicativo gratuitamente!

Escolha um idioma – a primeira lição de cada curso é grátis!

Este ano eu decidi... aprender meu 16° idioma

Junto com o seu irmão gêmeo, Matthew, Michael Youlden aprendeu mais de doze idiomas desde os seus oitos anos de idade. Logo, se você resolver aprender um idioma - e quiser saber como seguir adiante - você deve ouvir esses conselhos.

Escrito por Michael Youlden

Um novo ano traz consigo novas ideias e novos impulsos, estímulos. Não importa se você está economizando para a viagem da sua vida, finalmente desempacotando aquelas caixas empilhadas ou organizando o porão ou entrando de cabeça no aprendizado de italiano, não há melhor dia do que o primeiro de janeiro para decidir o que 2016 vai trazer para você. Eu decidi começar a aprender córnico e bengalês e continuar a estudar os idiomas que estou aprendendo atualmente: húngaro e albanês. Depois da passagem do ano, vou tentar mergulhar de cabeça nos dois primeiros livros que tenho em córnico: Kernewek mar plek! (cuja tradução seria: “Córnico, por favor””) e um livro alemão sobre bengalês entitulado: “Lehrbuch des Bengalischen” (Livro didático de bengalês). Claro que, como qualquer outra decisão que você tome, isto não significa que você precise, necessariamente, começar o seu projeto em janeiro, mas eu acho que começar algo no início do novo ano traz um certo benefício psicológico. Definir um ponto de partida oferecerá a você a oportunidade de medir o seu desenvolvimento, no fim de março quero estar no fim do capítulo vinte do livro Kernewek mar plek, assim, espero conseguir estudar uma média de quase sete capítulos por mês.

Claro que as resoluções de ano novo são conhecidas por quase nunca serem cumpridas, por serem descartadas e esquecidas depois de algumas semanas de dedicação intensa, ou então, por serem simplesmente reprimidas tornando-se fontes de um certo remorso devido a falta de empenho. Eu mesmo já estive nessa categoria. Acredito que todos já estivemos. Contudo, mesmo que, no passado, eu não tenha realmente feito promessas e estipulado metas em janeiro, eu acho absolutamente necessário esboçar um plano, mesmo que vago. Logo, liberte o arquiteto que existe em você e comece o ano rascunhando seu plano ao anotar, por exemplo, as horas do dia em que você está mais disposto a estudar. Mantenha-se focado na sua tarefa e seja razoável com seus objetivos: não reserve duas horas para estudar espanhol em uma quarta-feira à noite, especialmente se você sabe que só poderá estudar no máximo meia hora. O segredo do sucesso é dar passos curtos, ou seja, estudar em sessões rápidas, mas eficazes e regulares.

Muitos de vocês já estabeleceram suas metas e tenho certeza que muitos de vocês decidiram aprender um novo idioma. Outros podem estar se pergutando qual idioma devem aprender: vocês ouvirão alguns dizer, “você deveria realmente aprender chinês porque assim você terá emprego a vida inteira” ou, “aprenda espanhol pois ele é, literalmente, falado em todo lugar hoje em dia”, mas na minha opinião, não há nenhum idioma em particular que deva ser aprendido. Eu escolho os meus idiomas quase que somente por interesse e curiosidade: o córnico tem semelhanças com o irlandês gaélico, um dos meus idiomas nativos, e junto com o bretão é um dos idiomas que me fascina há algum tempo. Como o irlandês, ele é também um idioma bastante antigo e vem passando por um ressurgimento nos últimos anos. Dizem que o último falante nativo morreu no fim do século XVIII mas o idioma continuou vivo de vários maneiras e formas. Assistir a vários clips dos “Cornish Oafs”, dois jovens que ensinam córnico no Youtube, abriu o meu apetite para mais Kernewek. A internet é um recurso incrível para estudantes de idiomas: dicionários on-line, tutoriais em vídeo, fóruns de discussão e cursos completos têm tornado mais fácil começar a aprender o idioma que você quer. Os guias interativos para aprendizado de idiomas aumentaram muito, desde os tempos em que eu e meu irmão estudávamos português de maneira autodidata.

O bengalês, que é aliás um idioma indo-europeu, será o primeiro idioma que saberei, além do hebraico, falado fora da Europa. Isto significará aprender a escrever uma escrita inteiramente nova (uma das seis mais usadas no mundo). Eu sempre quis me aventurar fora dos confins das línguas européias e, depois de ver um documentário sobre Bangladesh, decidi que a hora é agora.

Bom, os livros estão esperando serem abertos e o CD player ser acionado. Os experts em tecnologia e os fanáticos por aplicativos ficarão felizes em saber que, hoje em dia, há mais ferramentas interativas do que nunca disponíveis para aqueles que resolveram aprender um idioma. Não importa o método utilizado, aproveite as dicas acima para atingir seus objetivos. Arrebente em 2016!