Quais são os idiomas românicos e quantos são?

Infelizmente, as línguas românicas não têm nada a ver com o amor romântico. Entretanto, elas formam um dos maiores grupos de idiomas e estão espalhadas por todo o mundo.
Fonte italiana sobre idiomas românicos

As línguas românicas, apesar de compreenderem apenas um ramo da família linguística indo-europeia, incluem algumas das línguas mais influentes do mundo ocidental. Elas são faladas em grande parte da Europa e em toda a América do Norte e do Sul. Mas o que são as línguas românicas? Aqui, apresentamos uma pequena análise dessa ilustre família linguística e sua origem.

O que são as línguas românicas?

Decidir o que é uma “língua” e o que é um “dialeto” é complicado porque as línguas existem em um espectro, não em caixinhas separadas. Portanto, não há um consenso absoluto sobre quantas línguas românicas existem. O Ethnologue as divide as línguas românicas em 44 línguas diferentes.

As línguas românicas mais faladas são espanhol, francês, português, italiano e romeno, que combinados são falados por mais de 90% das pessoas que falam um idioma românico.

A lista completa de línguas românicas é bastante longa: aragonês, aromeno, asturiano, arpitrano ou franco-provençal, catalão, corso, emiliano, estremenho, francês, francês cajun, friuliano, galego, língua istriota, italiano, jersês, judeu-italiano, ladino, liguriano, lombardo, minderico, mirandês, napoletano-calabrese, occitano, picardo, piemontese, português, romanhol, romeno, istrorromeno, megleno-romeno, romanche, campidanese sardo, galurese sardo, logudorese sardo, sassarese sardo, shuadit ou judeu-provençal, siciliano, espanhol, espanhol amazônico, veneziano, valão e zarfático. E essas são apenas línguas que ainda existem hoje.

Quantas pessoas falam uma língua românica?

Obter um número exato de quantas pessoas falam uma língua românica é meio difícil. Se você somar a população de cada língua românica, terá 1,2 bilhão de falantes no mundo. Porém, isso não leva em conta que há sobreposições nessas populações. Há muitas, muitas pessoas multilíngues na Europa, por isso os números são um pouco inflacionados.

Mas se você contar apenas os cinco idiomas principais por falante, o número ainda é de mais de 1,1 bilhão, então podemos apostar com bastante segurança que cerca de um sétimo da população fale hoje uma língua românica.

Por que são chamadas de línguas românicas?

A palavra “romance” tem muitos significados em português. Como eu, você deve ter pensado em algum momento que elas eram chamadas de línguas românicas porque são as línguas mais românticas. A raiz da palavra “romance”, no entanto, remonta ao latim rōmānicus, que significava “romano”. A língua de Roma era o latim, e todas as línguas românicas descendem do latim vulgar, então o nome faz sentido.

De onde elas vêm?

O único fator que une as línguas românicas é que todas elas evoluíram do latim vulgar. Assim como “romance”, a palavra “vulgar” aqui não significa o que você normalmente pensa quando ouve. Ela vem do latim vulgus, que significa “pessoas comuns” logo o latim vulgar refere-se aos muitos dialetos do latim falados por pessoas comuns. Esses dialetos contrastavam com o latim clássico, que era a versão padronizada da língua. O latim ainda é usado em certos contextos religiosos e científicos na atualidade (embora, indiscutivelmente, seja uma língua morta).

Por causa da extensão do Império Romano, o latim vulgar foi falado em toda a Europa nos primeiros séculos d.C. Quando o império governamental começou a entrar em colapso no século V, a língua ainda estava presente em todo o continente. À medida que as comunidades começaram a se distanciar umas das outras e diversos reinos surgiram, as línguas se afastaram e passaram a soar mais distintas.

Elas se espalharam ainda mais com os vários impérios coloniais, levando o francês, o espanhol e o português para a América do Norte e do Sul. Todos os ramos da árvore da língua românica se dividem de acordo com as mudanças na ordem geopolítica.

Quão semelhantes são as línguas românicas?

É tentador acreditar que se você conhece uma língua românica, será capaz de basicamente entender as outras. Mas será que falantes de línguas românicas podem realmente se entender mais facilmente do que falantes de outras línguas? A resposta é sim – mas um sim, digamos, condicional.

Dependendo de qual língua românica você aprende ou fala, você pode ter mais facilidade ou dificuldade em entender outras variantes. Parte disso tem relação com a “distância” linguística entre as línguas. Quem sabe português brasileiro, por exemplo, consegue entender o português falado em Portugal, apesar de haver diferenças entre os dois. Francês e espanhol são claramente mais distintos, mas ainda há inteligibilidade mútua suficiente para que um falante de francês e um falante de espanhol possam ter uma conversa rudimentar.

Não discutiremos aqui exatamente quão mutuamente inteligível cada par de línguas românicas é, mas é bem provável que aprender uma delas torne o aprendizado de outras mais fácil. Graças às semelhanças na gramática e nos cognatos (palavras que soam parecidas), não é muito difícil pular de uma para a outra – pelo menos em comparação com as dificuldades que teríamos em ir de uma língua românica para o árabe ou o mandarim, por exemplo. Portanto, se você quiser aprender mais de um idioma, vale a pena se concentrar no mesmo grupo linguístico.

Quer falar uma língua românica?
APRENDA COM A BABBEL
Compartilhar: