Fale um idioma como sempre sonhou

Aprenda idiomas como nunca. Baixe o aplicativo gratuitamente!

Escolha um idioma – a primeira lição de cada curso é grátis!

Viagem no tempo: palavras em português que já não usamos, mas adoramos!

Algumas palavras ficam na nossa memória, seja por uma lembrança querida ou por marcar uma época. Aqui vai a minha lista de palavras em português que já não uso tanto, mas de alguma forma adoro!

Escrito por Sarah Luisa Santos

Ilustração por Marta Duarte Dias

Um idioma nunca é estático. Afinal, ele tem a função importantíssima de exprimir os desejos e as necessidades da sociedade, que, por sua vez, mudam com o passar do tempo.

E, como as roupas que usamos, as palavras também estão sujeitas a modismos e tendências de uma certa época. Algumas perduram e continuam firmes e fortes na atualidade, outras já caem em desuso e são definitivamente esquecidas pelas gerações mais novas (o que não significa que as outras gerações, como a minha, esqueceram – afinal, lembretes constantes de que o tempo está passando estão em todo lugar, não é mesmo?).

Na minha pesquisa sobre palavras antigas em português, tive um sentimento de nostalgia muito bom, mas por que isso acontece? Bom, palavras não exprimem só ideias, mas também carregam consigo conexões emocionais. Essa é a razão pela qual muitas vezes algumas palavras, quando ouvidas no idioma materno, têm um peso ou significado muito maior do que quando ditas em idiomas estrangeiros. Começamos a fazer conexões em nossa língua materna desde muito cedo, por isso sua carga emocional é muito maior.

Não é à toa que sinto saudades do meu Brasil. Mesmo depois de anos morando na Alemanha, ainda consigo me divertir com meu idioma materno, o português. Aqui vai a lista com as minhas palavras antigas favoritas em português:

Bacana

Essa palavra ainda é usada hoje em dia, mas sua origem vem de longa data.

De acordo com a maravilhosa internet, bacana viria de bacanal, festa dedicada ao deus grego Baco, regada a muito vinho e música.

Já segundo outra fonte (oi, wikipedia!), a palavra tem origem no dialeto genovês, em que baccán significa chefe do lugar. A gíria bacana é usada para denominar alguém de posses, mas, no seu uso mais comum, ela significa algo legal, de bom gosto. De qualquer forma, fazem sentido as duas origens da palavra.

Batuta

Quem nunca assistiu àquela sessão da tarde com Os batutinhas? Ok, pode ser que só eu tenha essa lembrança dos anos 90, mas, além de usada para dar nome a filmes produzidos em 1994, a palavra (do italiano battuta) se refere àquele bastão usado por regentes de orquestras.

Na boca do povo, batuta também é aquela pessoa legal, que sabe das coisas. Só coisa batuta por aqui!

Ceroula

Sempre que leio ou ouço essa palavra, a imagem que me vem à cabeça é de algum membro da coroa portuguesa usando essa peça da indumentária masculina alguns séculos atrás… Minha imaginação talvez seja fruto de muitas minisséries globais históricas. De toda forma, essa palavra é originada do árabe vulgar, em que siroal significa calça.

Safanão

Quem nunca levou um safanão da mãe: aquele tapa que não é tapa, de leve, ou aquela puxada de braço quando você tentou pegar o doce do seu primo? A origem dessa palavra é incerta, mas li que sua formação pode ser atribuída à lógica: safa (do verbo safar-se, escapar) + não. Risos!

Careta

Essa gíria nos acompanha até hoje, mas era bem mais popular na década de 1980. Seu significado literal, "contração involuntária ou proposital dos músculos da face, por alguma dor (física ou moral) ou por gracejo, brincadeira", faz um contraponto bem interessante com o que a gíria indica: uma pessoa careta é alguém certinho demais, que nunca se excede. Talvez seja por isso que andam sempre com o rosto contraído?

Dondoca

Essa palavra faz muitos anos que não ouço. Acho que ela realmente caiu em desuso.

Aqui vai uma das definições, encontrada em um site da internet:

"Dondoca: de dona, do latim domina, senhora, caracterizada de modo pejorativo como proprietária de coisa oca, soando dona de (coisa) oca, isto é, sem valor ou falso."

A palavra dondoca era usada para denominar as mulheres da alta sociedade que correspondiam àquele típico estereótipo de "peruas" (outra gíria que também está quase em desuso). De acordo com a definição acima, seria "dona de uma coisa oca". Interessante…

Patota

Patota significa grupo. Nas minhas pesquisas, descobri que esse foi o nome de uma novela global em 1972 (A patota), em que se contava a história de um grupo de estudantes que queria conhecer a África. Não é à toa que virou gíria… Dá-lhe, Rede Globo!

Serelepe

Quando eu era criança, ouvia esse adjetivo frequentemente da minha avó.

Segundo minhas pesquisas cibernéticas, além de ser usada para se referir a alguém vivaz, astuto, a palavra serelepe serve também para designar uma espécie de esquilo que vive em florestas do Brasil.

Pindaíba

Essa palavra muita gente usou – e ainda usa! Afinal, quem nunca teve seu tempo de vacas magras?

Outra palavra com origem africana, de acordo com as pesquisas virtuais:

"Ficar na pindaíba significa estar na mais completa miséria. Segundo o novíssimo dicionário Houaiss, a palavra aparece pela primeira vez em 1899. Sua origem mais provável é o quimbundo, língua africana na qual encontramos as palavras mbinda, que significa miséria, e uaiba, que significa feia. Daí a mbindaiba (= miséria feia), que nos deixou na maior pindaíba. (via Globo.com)"

Lorota

Quem nunca ouviu uma grande lorota? Na gíria popular, lorota significa mentira, uma história mal contada.

Neste artigo vimos algumas suposições sobre a origem de palavras que eu tanto adoro. Espero que não se trate de um monte de lorotas!