Babbel Logo

Comece a falar um novo idioma agora. Experimente de graça!

14 gírias e expressões do português europeu que não fazem sentido para brasileiros

Vamos explicar aqui direitinho como descalçar as botas.
Author's Avatar
ESCRITO POR Ana Freitas
14 gírias e expressões do português europeu que não fazem sentido para brasileiros

Ilustrado por Paula P. Rezende

Não é surpresa para ninguém, em nenhum lado do Atlântico, que o português brasileiro e o europeu apresentam algumas diferenças, como qualquer viariante de um idioma. Na língua escrita, são poucas; mas o português é um desses idiomas em que se fala muito diferente do que se escreve, e as diferenças na oralidade entre o português brasileiro e o europeu podem gerar reações engraçadas. Às vezes, dependendo do sotaque, elas soam quase como línguas distintas.

Nós já falamos sobre essas diferenças neste artigo. E elas não se manifestam apenas na maneira como pronunciamos certos sons ou como algumas sílabas são deixadas de lado na fala. Há também uma diferença expressiva no vocabulário e, é claro, nas gírias.

Para os brasileiros que pretendem conhecer a terra de Camões ou mesmo para os falantes de português brasileiro (ou europeu) curiosos sobre as diferenças entre as duas variantes, reunimos uma lista (bem engraçada, aliás) de gírias de Portugal que fazem pouco ou nenhum sentido para quem só conhece o português brasileiro.

Ah! Isso não significa necessariamente que essas gírias são faladas e compreendidas no país todo. Como em qualquer lugar do mundo, muitas expressões coloquiais são locais e só fazem sentido em determinada região. Vamos a elas:

1. “Estou!”

É assim que se atende o telefone em Portugal.

Equivalente no Brasil: alô!.

2. Abiscoitado

gajo

“Este gajo (sujeito, cara) só pode ser um abiscoitado.”

Refere-se a alguém irresponsável, sem juízo.

Equivalente no Brasil: um termo próximo é chamar alguém de moleque ou juvenil.

3. Malta

Diogo é o gajo mais fixe da tua malta!

Malta é um grupo de amigos.

Equivalente no Brasil: galera, turma.

4. Bué

Eu estou bué cansada hoje.

Bué é o mesmo que muito e é uma expressão bastante usada.

Equivalente no Brasil: demais, pra caramba.

5. Ter lata

Tu não tens lata para isto!

“Ter lata” equivale a ter coragem, ousadia.

Equivalente no Brasil: ter a cara de pau.

6. Sandes

Na última vez que a vi, ela estava a comer um sandes.

Sandes é um sanduíche – aliás, uma expressão muito simpática e também muito comum.

Equivalente no Brasil: algo como sanduba ou lanche.

7. Foda-se

Tua nota de história foi 3? Foda-se!

Essa expressão, apesar de um pouco pesada e somente tolerada em ambientes informais, é importante. Isso porque, no Brasil, ela significa, literalmente, “não me importo”, “não tenho nada a ver com isso” e, exceto se dita entre amigos e em tom de piada, pode ser considerada rude.

Em Portugal, no entanto, ela substitui uma interjeição de surpresa. Não caracteriza falta de educação.

Equivalente no Brasil: nossa! ou puta que o pariu!

8. Piropo

Nem tudo é o que parece, felizmente. Piropo, em Portugal, é uma cantada.

Equivalente no Brasil: xaveco.

9. Brutal, grave

Esta noite foi brutal! Bebi muito, mesmo grave!

Nesse contexto, grave e brutal servem para caracterizar intensidade. É o mesmo que dizer que foi uma noite muito boa. Repare que o termo mesmo vem antes de grave, enquanto no português do Brasil, usaríamos o mesmo depois do adjetivo. Detalhe: brutal em português brasileiro possui um sentido negativo.

Equivalente no Brasil: sinistro, pesado, louco.

10. Do piorio

Diz-se de alguém ou algo que é terrível, muito ruim.

Equivalente no Brasil: não temos uma gíria específica para o pior.

11. Descalçar esta bota

Preciso descobrir como descalçar esta bota.

A expressão descalçar a bota significa resolver um problema. Frequentemente, se refere a problemas causados pela própria pessoa. É como um abacaxi para descascar, exceto que, nesse caso, você mesmo plantou e colheu o abacaxi… Entendeu? 😉

Equivalente no Brasil: resolver um pepino, descascar um abacaxi, resolver uma treta.

12. Aguentar nas canetas

Maria já não se aguentava nas canetas

Alguém que não se aguenta nas canetas é alguém que está muito cansado.

Equivalente no Brasil: estar só o pó, embora essa gíria seja considerada tipicamente paulistana.

13. “O rabo é o pior de esfolar”

Essa expressão quer dizer algo como “o final (de uma tarefa) é a parte mais difícil”.

Equivalente no Brasil: não temos uma gíria para essa expressão.

14. Fixe e giro

Ambas são usadas para se referir a algo ou alguém bom, agradável.

Equivalente no Brasil: legal, demais, gente boa, foda.

Você conhece outras expressões curiosas em português europeu ou tem sugestões de expressões equivalentes no Brasil?

Amplie seus horizontes

Aprenda um novo idioma

Qual idioma você gostaria de aprender?

Qual idioma você gostaria de aprender?