¡Hola, hermanos! Que tal trabalhar na Argentina?

Apesar de os nossos vizinhos estarem passando por mais uma crise econômica, pode ser interessante explorar o mercado argentino e abandonar o portunhol. Acordo do Mercosul facilita o visto para brasileiros.
Author's Avatar
ESCRITO POR Gabriel B.
¡Hola, hermanos! Que tal trabalhar na Argentina?

A Argentina nunca perdeu o seu charme, mesmo passando por uma das crises mais severas de sua história. E, por ser um país vizinho ao Brasil, se tornou o destino ideal para quem não deseja se afastar demais da terra brasilis. Trabalhar na Argentina não só pode ser enriquecedor, mas também ser uma ótima desculpa para você deixar de lado o portunhol.

Para quem quer ir de mala e cuia, acordos do Mercosul garantem algumas facilidades de imigração para o Brasil, Paraguai e Uruguai. As pessoas destes países podem obter residência temporária por dois anos na Argentina, que depois pode virar permanente. Também não precisam ter uma oferta de emprego garantida. Outro ponto importante é que o trabalho por lá conta para a Previdência Social no Brasil! 

A Argentina possui diversas filiais de multinacionais na América do Sul, além de empresas de tecnologia e comércio, como o Mercado Livre e Decolar. Você pode começar a sua busca por vagas de trabalho em sites como Zonajobs, ComputrabajoBumeran,  Manpower, Indeed e LinkedIn.

Nem tudo é céu de brigadeiro também: o índice de desemprego por lá está bem elevado. Há vagas em setores cruciais para a economia, mas a competição vai ser dura! 

Para trabalhar na Argentina, quais profissões estão em demanda? 

O governo argentino já até realizou um estudo (leia aqui) para responder a essa pergunta. Esse levantamento foi usado para planejar a expansão do ensino superior conforme as necessidades do mercado, logo é um bom termômetro sobre as profissões em falta por lá. 

Cada área do país, é claro, precisa de algo diferente. Na Região Metropolitana, que inclui a Grande Buenos Aires, ficam as principais indústrias – alimentícia, têxtil, automobilística, petroquímica etc –, além de forte centro de turismo e serviços financeiros/empresariais. Ali, o governo argentino diz que são necessários mais trabalhadores qualificados em informática, comunicação e desenvolvimento de softwares. 

Outro mercado relevante é o de gestão ambiental, porque as indústrias precisam desses profissionais. O problema é que na Argentina há pouca gente estudando esse tema. Bora fazer as malas analistas/engenheiros ambientais brasileiros? Não esqueçam o chimarrão! 

Quer saber mais sobre a demanda em outras regiões argentinas? Então vale a pena dar uma lida no estudo do governo (em espanhol, claro)! 

Esse outro estudo do Banco Interamericano de Desenvolvimento e do LinkedIn diz que as as profissões “mais emergentes” no mercado argentino são (nesta ordem!): desenvolvedor de software, profissional administrativo jurídico, especialista em mídias sociais, proprietário/fundador, designer criativo, jornalista, consultor, profissional de serviço alimentício, estrategista de negócios e arquiteto.

Ou seja, há mais chances de achar uma vaga se você trabalhar na Argentina nesses setores. 

Já as profissões a seguir estão em baixa: funcionário administrativo, especialista em suporte à Tecnologia da Informação (TI), atendimento ao cliente, contador, consultor de TI, oficial militar, administrador de sistema de TI, vendedor de varejo, analista de pesquisa e especialista em finanças corporativas.

Mas e aí, como é o mercado de trabalho argentino?

Os hermanos trabalham oito horas por dia, e na semana em um total máximo de 48 horas. Há a possibilidade de turnos durante sábados e domingos, dependendo do setor. 

Sobre o coleguismo no ambiente de trabalho, cada empresa tem suas especificidades, mas os argentinos costumam manter relacionamentos próximos com seus colegas. Isso chega a incluir eventos fora do ambiente profissional, como idas a restaurantes, festas e bares. Eles também procuram trabalhar bastante em grupo.

Em cidades grandes como Buenos Aires, é comum que o estilo das roupas seja mais tradicional, com ternos, saias e vestidos entre as opções mais usadas. Contudo, isso também depende da empresa e do setor. 

Assim como no Brasil, pontualidade não é o forte de muitos argentinos. Logo, não fique bravo com o colega que chegou 15 minutos atrasado para uma reunião importante ou não se desespere se você for quem atrasou. Mas também não abuse, não dá para aparecer uma hora depois do combinado! 

Outra semelhança com o Brasil são os feriados prolongados. Ou seja, aqueles que caem milagrosamente em uma quinta-feira, por exemplo. Ainda bem, né?

O horário de almoço costuma durar uma hora, ou até mais em algumas cidades. Prepare-se para enfrentar restaurantes e cafeterias cheios a partir do meio-dia. Em alguns locais, há quem ainda tire uma soneca, a famosa siesta. O horário comercial é de 9h às 12h e das 14h às 19h. 

O salário mínimo atual é de 12,500 pesos por mês, ou 1,1 mil reais. Deste valor serão descontados contribuições para o sistema de saúde e para a aposentadoria em uma porcentagem de, ao menos, 17% do total bruto.

A legislação argentina também inclui um 13º salário pago todos os anos. As férias variam de 14 a 35 dias consecutivos a cada 12 meses.

E como funciona o visto para trabalhar na Argentina? 

Quem tem interesse e estiver no Brasil, deve procurar um consulado argentino para solicitar o visto (mais informações aqui). Quem já estiver do outro lado da fronteira, precisa enviar os documentos diretamente para a Dirección Nacional de Migraciones (DNM). 

Há duas taxas: 250 dólares pagos ao consulado em moeda brasileira (cerca de 955 reais) e 300 dólares (1,2 mil reais) a serem enviados para a DNM. Os interessados podem realizar o agendamento via email no consulado mais próximo. E lembrem-se: quem não aparecer no dia programado não poderá remarcar uma data por três meses!

Frases em espanhol para saber no ambiente de trabalho

Algumas empresas argentinas contratam profissionais fluentes em inglês e português, pois essas duas línguas são muito úteis para os negócios na região. Contudo, antes de você ir trabalhar na Argentina, seria bom estudar um pouco de espanhol usado no dia a dia de um local de trabalho. 

Marcando uma reunião

Tenemos que convocar una reunión. — Temos que convocar uma reunião.

Programaron la cita para mañana. — Eles agendaram o encontro para amanhã. 

Él confirmó su asistencia. — Ele confirmou sua presença. 

¿Podrías reservar la sala de conferencias? —  Você poderia agendar a sala de conferências?

¡No te preocupes, todo está arreglado! — Não se preocupe, está tudo resolvido! 

Discutindo tópicos de negócios

Me gustaría presentar el proyecto. — Eu gostaria de apresentar o projeto. 

Tienes la palabra. — Você tem a palavra. 

No comparto su opinión. — Não tenho a mesma opinião. 

Se trató de un pequeño malentendido. — Se tratou de um pequeno mal-entendido. 

La minuta de la reunión pasada contiene una lista de varias ideas excelentes. — A ata da última reunião tem lista de várias ideias excelentes. 

Tienen en cuenta la estrategia. — Eles estão levando em conta a estratégia. 

¿Cuándo firmamos el contrato? — Quando assinamos o contrato? 

Escrever e enviar e-mails

Queridos compañeros: — Caros colegas / Prezados colegas, 

No duden en contactarme. — Não hesite em me contatar. 

Quedo pendiente de su respuesta. — Aguardo sua resposta. 

Saludos cordiales, — Melhores cumprimentos / Atenciosamente

¿Podrías reenviarme este correo? — Você poderia me reenviar este e-mail? 

Te pongo en copia. — Coloco você em cópia. 

APRENDA ESPANHOL COM A BABBEL
BAIXE AQUI
Qual idioma você gostaria de aprender?