Conditional Love: domine o uso dos condicionais em inglês

O uso dos condicionais em inglês pode confundir… veja como Rafa e Dani saem de uma enrascada linguística e amorosa no quarto episódio de Inglês que Cola!
Author's Avatar
Conditional Love: domine o uso dos condicionais em inglês

Publicamos mais um episódio da série Inglês que Cola! Dani se meteu nas aventuras dos online dates – quem nunca? – e antes mesmo que seu pretendente virasse seu facebook official, as coisas degringolaram. Don’t rush Dani, your soulmate (alma gêmea), significant other (companheiro/a), better half (cara-metade) lies just around the corner.

In the meantime, estudaremos em detalhes os condicionais em inglês, mais conhecidos como if-clauses. As frases com if indicam uma condição entre causa e consequência, seja ela um fato ou certeza (Zero Conditional), uma probabilidade (First Conditional), uma hipótese improvável (Second Conditional) ou um arrependimento (Third Conditional). Vamos entender melhor cada um deles.

ZERO CONDITIONAL

If clause (condition)                Main clause (result)

  If + present simple                   present simple.

O Zero Conditional é usado para falarmos sobre o mundo real e se refere frequentemente a verdades absolutas, como fatos da ciência, ou quando a relação entre a causa e consequência é sempre a mesma. Nessas frases, o tempo é agora ou sempre e a situação é real e possível.

  • If water reaches 100 degrees, it boils. (Se a água atinge 100 graus, ela ferve) – isso é uma verdade sempre, não pode haver um resultado diferente.
  • If I eat peanuts, I get sick. (Se eu comer amendoim, eu fico doente) – isso acontece apenas com pessoas alérgicas mas, ainda assim, todas as vezes que comem amendoim, elas passam mal.

O Zero Conditional também é usado junto da voz imperativa para dar instruções:

  • If my boss calls me, tell her I’m away for lunch. (Se minha chefe me ligar, diga a ela que saí para o almoço).
  • Meet me at the coffee shop if we get lost. (Me encontre na cafeteria se nós nos perdermos).

FIRST CONDITIONAL

If clause (condition)                Main clause (result)

  If + present simple                   will (not) + infinitive

O First Conditional é usado para falarmos sobre a relação de causas e consequências que podem acontecer. Claro, não podemos dar como certo, mas na situação em que se cumpre uma condição, é provável que se tenha um resultado determinado. Nessas frases, o tempo é futuro, e a situação é possível e provável. Entendam melhor:

Jessie perdeu suas chaves. Ela diz a Susie:

  • Jessie: I’ve lost my keys. Have you seen them anywhere? (Perdi minhas chaves. Você as viu por aí?)
  • Susie: No, but If I find them, I’ll tell you. (Não, mas seu eu encontrá-las, eu direi a você)

Junto ao First Conditional, geralmente utilizamos o futuro simples com will, mas também é possível utilizar o futuro com going to ou outro verbo modal: can, might, should ou must com um sentido de ação futura:

  • If I have some time after work tomorrow, I’m going to visit my parents. (Se eu tiver tempo depois do trabalho amanhã, vou visitar meus pais)
  • If the meeting finishes early, we can go to a bar. (Se a reunião terminar cedo, podemos ir para um bar)
  • If I have time today, I might clean my car. (Se eu tiver tempo hoje, talvez eu limpe meu carro)
  • If they invite you, you should go along. (Se eles te convidarem,  você deveria ir junto)
  • If you have any problem, you must call me. (Se você tiver algum problema, deve me ligar)

A ordem das frases que compõem a estrutura do condicional pode mudar. Se iniciarmos o período com o condicional (if), separamos uma oração da outra com uma vírgula. Se iniciarmos a frase com o resultado, não há vírgula:

  • If the bus is late, we’ll not arrive at the airport in time. (Se o ônibus se atrasar, não chegaremos ao aeroporto a tempo)
  • We’ll not arrive at the airport in time if the bus is late. (Não chegaremos ao aeroporto a tempo se o ônibus se atrasar)

SECOND CONDITIONAL

If clause (condition)                Main clause (result)

  If + past simple                          would + verb

O Second Conditional é usado para falarmos sobre coisas do futuro que provavelmente não se tornarão realidade ou para falarmos de algo no presente que é impossível de acontecer por não ser verdade. Ele se refere a um mundo hipotético ou improvável.

  • If I won the lottery, I would travel around the world. (Se eu ganhasse na loto, viajaria ao redor do mundo) – Eu apostei, mas provavelmente não ganharei na loto.
  • She would travel around the world if she were* rich. (Ela viajaria ao redor do mundo se fosse rica) – Ela não é rica, portanto, não fará essa incrível viagem.
  • If I had his number, I would call him. (Se eu tivesse seu número, eu ligaria para ele) – Eu não tenho seu número, portanto, é impossível que eu ligue para ele.

* Como vimos com Rafa e Dani, usamos a conjugação do verbo to be de formas diferentes para situações reais ou irreais. Se a situação for real, usamos was para os sujeitos I/he/she/it como de costume. Porém, se estamos falando do mundo hipotético, usamos were para TODOS os sujeitos, inclusive I/he/she/it. Comparem:

  • If I were you, I would ask for permission before doing this. (Se eu fosse você, pediria permissão antes de fazer isso) – digo, if I were you porque eu nunca serei você, isso é impossível.
  • If I was upset, it’s because you didn’t ask my opinion. (Se eu estava chateada, é porque você não perguntou a minha opinião) – Digo, if I was upset porque eu estava chateada mesmo.

THIRD CONDITIONAL

If clause (condition)                Main clause (result)

   If + past perfect            would have + past participle.

Já o Third Conditional é usado para falarmos sobre coisas do passado que não podem ser alteradas. É uma situação hipotética e imaginária que não aconteceu. A realidade representa o oposto ou o contrário daquilo que a oração indica. Notem que o Third Conditional é frequentemente usado para falar sobre arrependimentos.

  • If I had studied hard, I would have passed the exams. (Se eu tivesse estudado duro, teria passado nos exames) – na realidade, não estudei suficientemente para passar.
  • If he had bought the tickets, we would have been to the concert. (Se ele tivesse comprado os ingressos, nós teríamos ido ao show) – Ele não comprou os ingressos, e consequentemente, não pudemos ir.
  • If she had known, she wouldn’t have done that. (Se ela soubesse, não teria feito aquilo).

E vocês, o que fariam se estivessem no lugar de Dani? Teriam tido mais paciência com o gringo afobado ou estariam felizes por ele ter desistido da viagem para o Brasil? I’ll see you guys with many more hints and bits on how to use English more naturally and comfortably. Have a good one!

 

TENHA SORTE NO AMOR E NO INGLÊS!
BAIXE O APLICATIVO DA BABBEL

Artigos recomendados

Pronomes indefinidos em inglês: Every, All and Each e um passeio pela moda

Pronomes indefinidos em inglês: Every, All and Each e um passeio pela moda

Neste artigo, saiba como usar os pronomes indefinidos em inglês all, every e each.
ESCRITO POR Daniel Zerbetto
Quando “like” não significa “gostar”

Quando “like” não significa “gostar”

Como identificar que “like” não é gostar? Confuso? Aqui explicamos a outra função dessa palavrinha que em inglês usamos tanto.
4 dicas de como melhorar o inglês

4 dicas de como melhorar o inglês

Você quer saber como melhorar o inglês? Aqui estão 4 dicas – entre séries, podcasts e livros – para praticar o seu idioma de acordo com o seu nível.
ESCRITO POR Daniel Zerbetto
Author Headshot
Daniel Zerbetto
Daniel Zerbetto é formado no mundo mágico das Letras & Literaturas. Sua especialização em Artes & Filosofia lhe tirou os pés do chão e abriu as portas da razão e imaginação. Enquanto viagens interplanetárias não são possíveis, ele se contenta em viajar entre os cinco continentes, aprendendo línguas e conhecendo pessoas. Já trabalhou como comissário de vôo e há mais de dez anos se dedica à educação, ministrando aulas de idiomas, literatura, artes, história da música e cinema. Recentemente, deixou sua amada Berlin para aprender italiano na imponente cidade de Turim, mas prometeu voltar em breve.
Daniel Zerbetto é formado no mundo mágico das Letras & Literaturas. Sua especialização em Artes & Filosofia lhe tirou os pés do chão e abriu as portas da razão e imaginação. Enquanto viagens interplanetárias não são possíveis, ele se contenta em viajar entre os cinco continentes, aprendendo línguas e conhecendo pessoas. Já trabalhou como comissário de vôo e há mais de dez anos se dedica à educação, ministrando aulas de idiomas, literatura, artes, história da música e cinema. Recentemente, deixou sua amada Berlin para aprender italiano na imponente cidade de Turim, mas prometeu voltar em breve.
Qual idioma você gostaria de aprender?