Fale um idioma como sempre sonhou

Aprenda idiomas como nunca. Baixe o aplicativo gratuitamente!

Escolha um idioma – a primeira lição de cada curso é grátis!

Você fala a língua emoji?

Os emojis são uma forma rápida e divertida de dar um toque emocional a e-mails, textos e bate-papos. Mas será que eles podem ser mais que isso? Será que emojis vão se tornar uma “linguagem universal”?

Escrito por Ryan Eyers

Os emojis podem ser considerados por alguns como a mais nova linguagem escrita do mundo, mas na verdade, eles são um tipo de comunicação que antecede a maioria das formas de escrita: afinal de contas, transmitir significado através de representações pictográficas (emoji significa literalmente ‘imagem-caractere’) é um método que já existia há muito mais tempo do que o método de comunicação através dos símbolos pelos quais estou me comunicando com vocês agora. Como o mundo gira cada vez mais em torno da internet, os emojis têm a chance de transcender as fronteiras linguísticas, ou de aumentar a quantidade de falsos amigos e mal-entendidos?

Apesar de os emojis só terem entrado no imaginário coletivo há poucos anos, eles vêm sendo usados no Japão desde o final da década de 90. Lá eles foram desenvolvidos originalmente para tornar as operadoras de telefonia móvel mais atraentes para consumidores adolescentes. Mesmo que você não use os emojis, você deve estar familiarizado com os emoticons, marcas tipográficas com imagens simples como :) e :( -ou até mesmo com os kaomojis, emoticons de estilo japonês que ampliaram o campo da expressão tipográfica - por exemplo: __φ(..)** para expressar “escrevendo” - e foram referência para a criação dos próprios emojis. Tanto os emojis como os emoticons são usados para dar um toque emocional e contexto à comunicação baseada em textos que, com o auge da tecnologia e redes sociais, tornou-se uma das formas mais comuns de permanecer em contato com os amigos e a família. O que os difere é a amplitude do repertório dos emojis. Liberados da limitações da pontuação dos emoticons e do uso de símbolos enigmáticos dos kaomojis, os emojis apresentam uma gama muito mais ampla de expressões em um formato mais simples de se analisar, tanto para quem os escreve, como para quem os lê.

Recentemente, o aplicativo de teclado SwiftKey publicou dois artigos sobre o uso de emojis mundialmente baseados em dados coletados de seus usuários. Os resultados mostram que a popularidade de emojis específicos varia muito de acordo com o contexto cultural e linguístico. Enquanto algumas preferências podem ser atribuídas a estreótipos nacionais (em comparação com a média, os australianos usam o dobro de emojis relacionados à bebida alcóolica, e a população francófona usa quatro vezes mais emojis de coração), outras são bem surpreendentes (os canadenses falantes de inglês são os que mais usam emojis violentos). O que isso sugere é que, isoladamente, os emojis têm tanto potencial para serem mal interpretados quanto as palavras, especialmente quando o consenso sobre seu significado difere amplamente entre as culturas e os idiomas (consideremos a relativa simplicidade de 😊 em comparação com 💩). O que acontece se um ou mais idiomas estão envolvidos? Eu perguntei a alguns entusiastas multilíngues sobre suas perspectivas.

Mika cresceu em um lugar nos EUA, onde se fala japonês e viveu durante dez anos na Nova Zelândia, antes de mudar-se para Tóquio. Além de complementar ou substituir a comunicação padrão, ela usa os emojis para expressar sentimentos “difíceis de colocar em palavras, mas fáceis de colocar em um [emoji]”. O emoji 👯, por exemplo , poderia transmitir a ideia de celebração, alegria ou “um tipo de imprudência vertiginosa”, dependendo do contexto. Michelle — que é da Patagônia, mas mora em Berlim e fala espanhol, inglês e alemão diariamente — concorda, dizendo que sua decisão de usar emojis em vez de palavras “trata-se de uma estratégia eficiente para agregar significado” a uma mensagem. Ela acrescenta que seus emojis frequentemente “transmitem significados previamente acordados que não têm absolutamente nada a ver com ilustração da mensagem escrita.” Por exemplo: 🌚 não faz referência a temas lunares quando aparece em uma frase como “ok 🌚”. Na verdade, ela pode usar esse emoji quando sente-se farta e frustrada. Alternativamente, um emoji em particular pode assumir um significado específico entre certos usuários — entre o grupo de amigos de Michelle, 💀 é a abreviatura para uma ressaca terrível.

Enquanto Mika acredita que seu uso de emojis seja semelhante em japonês e inglês, Michelle nota uma clara diferença entre os idiomas. Ela diz que os usa mais em espanhol do que em inglês e muito mais do que em alemão, mas suspeita que isso tenha mais relação com a intimidade que ela tem com as pessoas com quem ela se comunica do que com o idioma ou o contexto cultural. Curiosamente, a diferença dos níveis de fluência que Michelle possui nos idiomas se reflete nos diferentes papéis assumidos pelos emojis, dependendo se são auf Deutsch ou en español. Em alemão, que ela só começou a aprender há dois anos, emojis “preenchem as lacunas de ideias que não são compreendidas tão rapidamente em mensagens de textos”, o que parece confirmar sua observação de que o uso de emojis em alemão é “mais ilustrativo e ‘tradicional’ ”. Já em espanhol e em inglês (idiomas que ela fala fluentemente), eles são usados para transmitir informação adicional ou para indicar sarcasmo.

Como em toda forma de linguagem, o êxito do que se quer transmitir com os emojis depende do contexto e da compreensão mútua entre quem escreve e quem lê. Devido à falta de definições aceitas e ao fato de que os grupos tendem a desenvolver seus próprios significados, definidos pelo uso, os emojis parecem funcionar como uma espécie de gíria; um meio mais sutil e complexo de comunicar-se com um grupo específico de pessoas. Alguns usuários (conscientemente ou não) criam “micro-linguagens” baseadas em emojis que, independentemente da intenção, inevitavelmente servem para delimitar a compreensão ao invés de ampliá-la. Por outro lado, quase todos, independente do idioma que falem, serão capazes de entender tanto a questão literal quanto a representação lúdica de “☀️ 🍺 ➡ 😌 ?”. Além do mais, é uma forma muito mais curta, razão pela qual os emojis tornaram-se tão populares no twitter. Também vale lembrar que, apesar da vasta gama disponível, o artigo do SwiftKey mostra que mais de 45% dos emojis usados são “smiley faces” (carinhas sorridentes), usados principalmente para complementar a mensagem com emoção e não para expressar a maior parte do conteúdo da mensagem. Esses dois níveis do uso dos emojis começam a parecer muito com a forma com a qual o inglês é usado no mundo atualmente: cheio de dialetos e significados contingentes que variam de acordo com a cultura, mas também com muitas frases básicas cujo significado geralmente se entende, sendo assim úteis para a comunicação interlinguística básica. A vantagem, logicamente, é que os emojis podem ser facilmente integrados a qualquer idioma e promovem a igualdade do nível linguístico, já que ninguém os usa como língua materna. O principal desafio é fixar um conjunto básico de definições com o qual todos concordem. E mesmo que uma gramática rudimentar de emoji esteja sendo desenvolvida, ao que parece, ela é tão suscetível de sofrer modificações quanto o significado de 💁 que vai de “pessoa do balcão de informações” a “não importa” “tanto faz.”

Em todo caso, o reinado dos emojis pode se revelar efêmero, tão logo uma nova forma mais diversa de expressão pictórica comece a surgir. LINE, que em 2013 tornou-se a rede social mais popular do Japão e em fevereiro de 2015 tinha 700 milhões de usuários no mundo inteiro, dispõe de um sistema de stickers (carinhas e símbolos) não muito diferente do disponível no Facebook, mas com mais de 10.000 opções. Mais de um bilhão de stickers são enviados via LINE diariamente, e Mika diz que eles estão um passo a frente em termos de expressão, em relação aos emojis disponíveis atualmente. Enquanto os emojis parecem ser mais flexíveis em termos de uso, sendo mais facilmente integrados ao texto, evoluindo a partir da informação fornecida pelo usuário (mesmo que lentamente) e estando disponível em inúmeras plataformas, somente o tempo vai dizer se manterão ou não seu papel na comunicação on-line.

Embora meu uso de emojis ainda seja vergonhoso a ponto de fazer qualquer um ficar 😳, eu sei que vou definitivamente ser 🙏 ➡ 😄 📈 🎉.

Que tal aprender um idioma novo?

Comece agora com o aplicativo Babbel