+B

Ano novo,novo idioma

Usuários da Babbel contam como conseguiram atravessar 2020 sem perder a motivação e como usaram os idiomas aprendidos para se manter em contato com o mundo

Saiba mais

O despertar de um novo ano é sempre um momento associado à renovação, à busca de novas motivações e objetivos. Para fazer um balanço de nossas experiências e conseguir olhar para o futuro com otimismo e esperança, nunca precisamos de tanta lucidez como agora. Mas, apesar de 2020 ter virado nossas vidas de cabeça para baixo, uma coisa é certa: o ano que se foi também nos ajudou a entender o que realmente importa.

O que nos une? O que nos motiva e nos permite olhar para o futuro apesar das dificuldades? Para nós, da Babbel, a resposta, além de simples, é também nossa principal missão: compreender. Compreender a nós mesmos, compreender uns aos outros, compreender o mundo ao nosso redor, superando a barreira dos idiomas. Em um momento tão complexo, perguntamos a nossos usuários como eles passaram pelo ano de 2020, o que eles acham de aprender um novo idioma, quais são seus objetivos e quais são suas resoluções para o ano que está começando.

Cansaço durante o confinamento? Não para os usuários da Babbel!

O ano de 2020 nos ensinou uma grande lição: estar em contato com as pessoas que amamos, viajar livremente, abrir-se a novas amizades e oportunidades são coisas que, por mais naturais que possam parecer, não estão o tempo todo ao nosso alcance. Então, por que aprender um idioma em uma época em que as possibilidades de colocar em prática o conhecimento adquirido parecem limitadas?

Bom, motivos não faltam. Mais de 6 mil novos usuários em todo o mundo que aderiram aos serviços da Babbel entre março e agosto de 2020 nos explicaram suas razões ao responder nossa pesquisa. Outras respostas e dados também foram coletados pela Dynata em um estudo independente, realizado em dezembro de 2020.

Para muita gente, as circunstâncias decorrentes do confinamento se mostraram ideais para promover a aprendizagem: mais tempo livre, menos compromissos de trabalho, a vontade de encontrar uma atividade estimulante para fazer em casa... Quem nunca disse algo como: “Gostaria tanto de aprender inglês (ou espanhol, alemão etc.), mas infelizmente não tenho tempo”?

Pois bem, muitas pessoas decidiram aproveitar esse período para ir atrás de um novo objetivo. Os números falam por si: em 2020, a Babbel atingiu a marca de mais de 10 milhões de assinaturas ativas, com um aumento de 600% no número de usuários durante o confinamento. Um resultado extraordinário que, além de nos encher de orgulho devido à dedicação de nossos usuários, fortalece nosso desejo de continuar aprimorando os cursos oferecidos, fazendo com que eles estejam cada vez mais de acordo com as necessidades e exigências de quem escolhe a Babbel.

General findings

As respostas obtidas também mostram um fato muito interessante: 50% dos participantes de nossa pesquisa afirmam ter aproveitado o confinamento para combinar o aprendizado de idiomas na Babbel com maratonas de séries e filmes em língua original. Como resultado, os entrevistados relataram uma melhora em sua compreensão geral, bem como um aumento em sua motivação.

Assistir a programas e filmes no idioma original, com ou sem legendas, é uma ótima maneira de praticar em casa o que foi aprendido. Esse também é um dos motivos que levaram a Babbel a lançar podcasts em diferentes idiomas. Quem foi que disse que, para mergulhar no aprendizado de um idioma, é necessário ir para o exterior?

Viajar, sim... mas, enquanto a situação não se normaliza, por que não aproveitar para aprender?

Os usuários da Babbel não têm dúvidas: 61% deles querem viajar novamente e descobrir o mundo o mais rápido possível. E isso é compreensível! Viajar é uma experiência incrível, quase viciante, que estimula nossa curiosidade e nosso desejo de descobrir outras culturas. Não à toa, a possibilidade de viajar é também uma das principais razões que levam as pessoas a aprender um novo idioma. Apesar de 2020 ter sido um ano bastante difícil para o setor de turismo, os resultados da nossa pesquisa trazem alguma esperança: 62% dos novos usuários da Babbel dizem ter feito planos de viagens durante o confinamento — e que desejam concretizar esses planos o mais rápido possível. Nesse meio tempo, em vez de apenas sonhar com novos destinos, muitas pessoas decidiram se dedicar ao estudo de um novo idioma. Uma excelente escolha!

Viagens e idiomas

Se você também é uma dessas pessoas que não veem a hora de voltar a viajar, por que não estabelecer mais uma meta para 2021? Escolha o destino dos seus sonhos — e aprenda o idioma local antes de embarcar!

Novo ano, novas habilidades e um novo currículo

As incertezas no mercado de trabalho são um dos aspectos que mais preocupam as pessoas que entrevistamos. E não sem razão: 47% delas afirmam não estar empregadas atualmente. E um terço das que têm uma ocupação revelaram não se sentir seguras no que se refere à estabilidade em seu trabalho.

Nossa pesquisa também mostrou que 20% dos entrevistados planejam destacar o idioma que aprenderam durante o confinamento de forma a enriquecer seu currículo com novas habilidades linguísticas (uma boa estratégia para aumentar as chances no mercado de trabalho).

Além disso, não podemos deixar de mencionar o impacto do teletrabalho na organização das empresas e na possibilidade de novas contratações: são várias as empresas internacionais que já não se limitam a contratos locais e contam com um quadro de funcionários em teletrabalho. Como nossos entrevistados reagiram a essa situação?

Carreira, CV e idiomas

Os dados da Dynata são bastante interessantes, sobretudo entre os participantes mais jovens da pesquisa: de modo geral, 37% deles veem o teletrabalho como uma possibilidade concreta para 2021. E 50% dizem que consideram seriamente ofertas de emprego no exterior. Essa porcentagem chega a ser ainda maior entre brasileiros (75%) e mexicanos (72%). Já entre os franceses, 35% dos entrevistados disseram estar dispostos a dar tal passo.

Qualquer que seja sua situação profissional, uma coisa é certa: aprender um novo idioma nunca é perda de tempo. Nossos usuários estão aí para confirmar!

Aprender um idioma? Um verdadeiro bálsamo para a alma!

Em 2020, todos nós vivenciamos algo comprovado por especialistas de todo o planeta: o isolamento decorrente do confinamento tem consequências significativas em nosso humor e nossa saúde mental. Além do isolamento, outros fatores também entram na equação: um presente marcado pela insegurança, um futuro cada vez mais incerto, a preocupação com a nossa saúde e com a saúde de nossos entes queridos... Tudo isso foi muito marcante ao longo de 2020. Como será que os usuários da Babbel reagiram a tais problemas?

saúde mental

Os dados que obtivemos em nossa pesquisa são interessantíssimos: nada menos que 77% de nossos usuários disseram que o aprendizado de um novo idioma os ajudou a suportar melhor o isolamento. Além disso, 51% dos entrevistados associam a experiência de aprender um idioma a uma sensação de satisfação pessoal, 13% se sentiram mais felizes durante o aprendizado do idioma e 7% se sentiram mais próximos uns dos outros.

Se você acha que o início deste novo ano é um momento sombrio, de pouca esperança, por que não tentar mudar essa sensação e aproveitar para aprender um novo idioma? O método da Babbel dá as orientações necessárias e ensina o passo a passo, ajudando você a construir bons hábitos e celebrar as pequenas vitórias de cada dia. Se você deseja sucesso em 2021, um novo idioma não é apenas uma meta alcançável, mas também uma experiência estimulante com efeito direto em seu humor.

Conclusão: Compreender muda tudo

Viagens, trabalho, saúde mental e bem-estar são excelentes motivos para aprender um novo idioma. Mas há outra coisa que os usuários da Babbel fizeram questão de enfatizar em suas respostas à nossa pesquisa: nem mesmo a distância e o isolamento forçado são capazes de reduzir o desejo de se comunicar, de estar junto e cuidar das pessoas que amamos. Aliás, mais de 50% dos entrevistados afirmaram ter entrado em contato com pessoas com as quais não falavam havia certo tempo: seja por saudade, seja para se certificar de que seus entes queridos estavam bem de saúde. Até mesmo as pessoas que não eram muito familiarizadas com as ferramentas de comunicação digital se esforçaram ao máximo para aprender e passaram a mandar mais e-mails, fazer videochamadas etc. E isso tudo, apesar das dificuldades em expressar seus sentimentos por meio de uma tela. Esse parece ter sido o caso de 80% dos entrevistados alemães e 71% dos falantes de espanhol.

conclusões

A essência do ano passado talvez possa ser resumida em um único dado: 79% dos entrevistados dizem que 2020 mudou radicalmente a forma como percebiam sua comunicação com parentes e amigos. Quase todos os participantes expressaram o desejo de se comprometer com a manutenção de relacionamentos antigos e novos, surgidos durante o confinamento.

Não importa se você está conversando com alguém que esteja próximo ou distante, se a conversa acontece no idioma que você está aprendendo ou em sua língua materna... Neste momento, temos apenas uma certeza: compreender muda tudo.

O isolamento e a introspecção causada durante o lockdown parece ter levado as pessoas a estabelecer novas prioridades, e a crescer. Aqui estão algumas boas dicas para manter a motivação em alta:

  • Una o novo hábito com um velho hábito que você possui há algum tempo.

  • Mantenha seu hábito: anote em uma lista ou calendário toda vez que você completar seu objetivo e observe seu progresso.

  • Se você puder se dedicar a isso todos os dias, faça-o! Quanto mais frequentemente você aprender, mais provável que o novo conceito seja fixado!

  • Tenha um início atômico: ou seja, comece aos poucos. Estude por um pequeno período de tempo, mas faça-o todos os dias. É a chamada regra dos dois minutos - basta se você se comprometer a cumprir os dois primeiros minutos diários, depois aumente o tempo a partir daí!”

Motivação é a chave do sucesso no aprendizado

Anna Stutter Garcia, Designer Sênior de Experiência do Aluno / Cornelia Lahmann, Gerente de Projeto do Francês para Didática

“A chave para o sucesso na aprendizagem não é o tempo livre em si, mas a disposição em dedicar tempo a uma prioridade"