Babbel Logo

6 truques para tirar o máximo do aprendizado de línguas usando música

Aprender um novo idioma através da música pode ser uma delícia! Ana Freitas dá as dicas de como tirar o máximo de proveito do seu artista ou banda favorita.
Author's Avatar
ESCRITO POR Ana Freitas
6 truques para tirar o máximo do aprendizado de línguas usando música

Quando eu decidi aprender francês, tomei uma decisão corajosa: faria aulas de conversação desde o momento zero. Decidi que praticar a comunicação desde muito cedo, mesmo sem saber tanto vocabulário e gramática, me daria confiança para me tornar fluente muito mais rapidamente.

Eu não estava errada. Ao longo da vida, a gente vai descobrindo lifehacks que nos ajudam no aprendizado de novas línguas: aqueles truques ou manhas que, combinados ao estudo formal, funcionam bem para a gente. Conversação desde o início é o meu truque secreto. Mas ele não veio sozinho e só funcionou porque eu tive uma aliada poderosíssima: uma incrível playlist de músicas em francês.

Em 2 ou 3 semanas de aula de francês e conversação, minha professora perguntou, surpresa, como eu estava falando tão bem, usando tempos verbais tão complexos e um vocabulário que crescia tão rápido. A resposta? Me apaixonei por uma banda chamada Louise Attaque. Ouvia todos os dias, o dia todo. Voilà.

Ouvir música em outro idioma é um método conhecido para ajudar no aprendizado. Mas eu descobri que não adianta só apertar o play: para tirar o máximo, é preciso organizar essa experiência. Veja a seguir algumas táticas que eu usei e sei que funcionam.

1. É iniciante? Está aprendendo uma língua parecida com algum idioma que você já conhece? Melhor cenário possível.

Pode parecer inútil dar play em canções na sua língua-alvo de estudos desde o primeiro dia. “Não vou entender nada, qual a vantagem?”, você pensa. Pois bem: que tal habituar seus ouvidos aos fonemas e às estruturas gramaticais? Música pode ajudar com isso desde o momento zero. Se for uma língua parecida com um idioma que você já fala, aí as vantagens vêm a cavalo.

É que tempos verbais e certas palavras, por exemplo, seguem uma lógica de “transposição” no caso de línguas da mesma família, como português, espanhol, francês e italiano. Por exemplo: em muitos casos, uma palavra que termina em ão em português vai terminar em on em espanhol. E a música pode ajudar a perceber instintivamente essas lógicas.

2. Que tal acompanhar as letras junto com a música?

No comecinho, tudo bem ouvir no esquema guerrilha. Mas depois de 3 semanas a 1 mês de estudos, eu recomendo acompanhar as letras junto com a música. É aí que a mágica acontece: esse exercício constante vai ajudar você a absorver, aos poucos, a sintaxe da língua, isto é, identificar as palavras enquanto elementos da frase, como elas se relacionam e em que ordem. Com o tempo, a música ajuda a fixar a sintaxe e a torna natural, já que outras construções vão soar “estranhas” aos ouvidos.

3. Tire o melhor de sotaques, dialetos e da velocidade na fala

Você pode e deve ouvir o que quiser enquanto estiver usando música para o aprendizado de determinado idioma. Banda canadense que canta em francês? Cantor senegalês? Projeto solo de uma cantora francesa? Tudo vale. No entanto, observe as diferenças de sotaque proporcionadas pela origem de cada artista. Se você deixar isso passar, pode gerar confusão; se olhar com atenção, curiosidade e brincar de “jogo de 7 erros”, pode usar isso a seu favor e entender rapidamente quais as principais diferenças em cada sotaque e como replicá-las.

No começo, escolha (pelo menos na maior parte do tempo) canções que não abusem (tanto) de gírias específicas, já que isso pode dificultar sua vida. Evite também bandas que abusam da velocidade na fala, porque se você não conseguir distinguir onde uma palavra começa e outra termina, a evolução pode ser mais lenta.

No entanto, isso só vale para o início. Na medida em que você ganhar mais segurança e seus ouvidos ficarem mais habituados, todas essas diferenças podem trabalhar a seu favor.

4. Fale e arrisque-se

Seja qual for seu método: aula de conversação, um amigo nativo ou que fale a língua, uma viagem – pratique sem medo. Com o francês, à medida que fui aprendendo o idioma e escutando muita música, percebi nesse processo que várias palavras simplesmente vinham, especialmente quando se tratavam de verbos. Eu sequer tinha aprendido aquilo formalmente, mas a música de alguma forma me ensinou a lógica. Praticando, fixei aquele aprendizado e corrigi as pedras no caminho.

5. O dicionário é seu melhor amigo

Na medida em que seu aprendizado avança, surgem mais dúvidas. Afinal, antes você não sabia nenhuma palavra daquela frase na música, então não vale a pena procurar no dicionário. Um ou dois meses depois, você já entende quase tudo – daí faz sentido pesquisar as palavras que faltam. É nesse processo que seu vocabulário vai ganhar um modo turbo.

6. Use e abuse da ferramenta “artistas relacionados”

Não sabe como descobrir artistas e bandas novas naquele idioma? O Spotify e outros serviços de streaming de música têm uma função chamada “artistas relacionados”, cujo nome é autoexplicativo. Outra possibilidade é, no Spotify, solicitar que o sistema crie uma playlist baseada em um artista específico. O importante é que você não enjoe, diversifique suas fontes e siga tendo a música como uma aliada para aprender.

Amplie seus horizontes

Aprenda um novo idioma agora!