Tour de Paris: passeio linguístico pela capital francesa

De romances russos a cabeleireiros turcos e mercados italianos, Paris é uma cidade superlativa quando se trata de culturas mundiais. Clichês à parte, a capital francesa é realmente multilíngue. Embarque em um tour por Paris reservado a poliglotas!
Paris

Se você também acha que em Paris só se fala francês, é hora de conhecer melhor a Cidade Luz.  E de dar um basta nos clichês! Neste artigo, levaremos você às margens do Bósforo, às estepes da Sibéria e aos cafés da Itália – e tudo isso sem sair de Paris. Descubra um novo lado da capital francesa com o nosso tour linguístico!

Torre Eiffel e Torre de Pisa: um passeio pela Itália em Paris

Talvez você não saiba ainda, mas Paris é uma espécie de irmã gêmea de Roma.  Tanto que existe até um ditado para comprovar esse fato: “Só Paris é digna de Roma, e só Roma é digna de Paris”. Ao longo do tempo, Paris construiu uma relação única com a cultura italiana. É perfeitamente possível praticar seus conhecimentos de italiano sem nem sequer sair da cidade. Nosso tour romano em Paris começa, como não poderia deixar de ser, pela gastronomia.

A capital francesa tem a sorte de contar com alguns dos melhores restaurantes italianos fora da Itália. Afinal, a maioria deles pertence a imigrantes italianos. Embora falem um francês perfeito, os donos desses restaurantes estão sempre dispostos a trocar algumas palavras em italiano com seus clientes. Aqui podemos citar o Chez Bartolo (trattoria napolitana localizada no 6e arrondissement), o Pasta e Basta (no 13e) e o Amici Miei, que oferece pratos típicos da Sardenha no 11e. Para um sorvete, recomendamos a sorveteria turinesa Pozzetto, situada (ironicamente) na rue Roi de Sicile, no 4e arrondissement.

Toda vez que você passar por um café ou um restaurante italiano, sinta-se à vontade para dar um Salve! Aliás, muitos desses restaurantes foram batizados com o nome do dono: perceba a quantidade de placas com as palavras Trattoria Da…*, por exemplo, o que equivale ao Chez… francês. Outra opção culinária: preparar suas próprias receitas italianas em casa depois de comprar produtos frescos em mercados excelentes. A Coopérative Cisternino recebe semanalmente diversos tipos de farinha, massas, embutidos e queijos italianos. Os produtos são davvero buonissimi – não hesite em elogiar os funcionários. Existem vários endereços em Paris, no 10e, no 11e, no 9e e no 5e arrondissements.

Mas a língua italiana não se expressa apenas à mesa. Também é possível fazer um tour pela literatura italiana em Paris: basta se dirigir a La Libreria, no 9e, e à Tour de Babel, na mesma rua em que está situada a sorveteria Pozzetto. No 7e arrondissement, o Institut Culturel Italien organiza exposições, concertos e festivais que colocam a língua de Dante em destaque. Caso você queira se teletransportar a Veneza sem sair do conforto do 4e, dê uma passadinha na loja de artesanato veneziano Il Campiello.

As chances de falar italiano são maiores nas proximidades da Porte d’Italie? Não necessariamente.  Apesar de o 13e arrondissement contar com bons endereços italianos, a verdade é que você pode encontrá-los por toda a capital. Em pelo bairro asiático, a estação Porte d’Italie deve seu nome à sua localização geográfica. Trata-se de um ponto de acesso à Route Nationale 7, que conecta a França à Itália. Em outras palavras: todos os caminhos levam mesmo a Roma… especialmente em Paris!

*Giovanni, Sergio, Tonino, Gino, Pietro, Giuseppe, Enzo…

Mais latinidade: onde falar português e espanhol em Paris

A Cidade Luz tem coração francês – e alma latina. Depois de um tour pela Itália, é hora de seguir para Portugal e Espanha. Para falar o idioma de Cervantes em Paris, basta ir a um dos muitos bares típicos espanhóis, tais como o El Tonel, ao lado das Tulherias, e o Potxolo, no 11e arrondissement. Se você é fã da cultura latino-americana, a Maison de l’Amérique Latine, no Boulevard Saint-Germain, é um lugar imperdível.

Quando se trata de aprender português, a capital francesa também não deixa a desejar. No Quartier Latin, La Libraire Portugaise et Brésilienne é visita obrigatória. Trata-se do melhor endereço em Paris para ler Fernando Pessoa, José Saramago e Paulo Coelho na versão original… antes de cruzar a cidade para comer pastéis de nata na Pastelaria Belém, no 17e. E para quem quer sair de compras como em Lisboa, nossa dica tem um nome difícil de ser esquecido:  Comme à Lisbonne. Nesta lojinha tipicamente lisboeta, é possível trocar um dedo de prosa em português com o Victor, bastante conhecido nas redondezas. A Comme à Lisbonne, aliás, também está localizada na rue du Roi de Sicile, uma espécie de ponto de encontro das culturas latinas às margens do Sena!

Petite Turquie: um tour em Paris para aprender turco

Nossa viagem não para por aqui. Pouco a pouco, vamos nos afastando do continente europeu, mas ainda sem sair completamente dele! Próxima parada: Petite Turquie, o bairro turco de Paris, localizado no 10e arrondissement. Este pequeno distrito é delimitado pelas ruas Faubourg Saint-Denis, Paradis, Enghien e Hauteville. Os restaurantes, cafés, livrarias, mercearias e salões de cabeleireiro nos dão a sensação de estarmos em Istambul. Por todas as partes, podemos ouvir merhaba! (olá!) e ne var ne yok? (como vai você?). Nesta região você também encontrará os melhores pratos turcos da capital. No menu: pide, lahmacun, köfte e ayran!

Moscou-sur-Seine: uma imersão na Rússia sem sair de Paris

Apesar de discreta, a cultura russa está bastante presente na capital francesa. Os melhores endereços, porém, se encontram em lugares um tanto escondidos. Sua excursão pela Paris russa pode começar pelo Boulevard Beaumarchais. La Librerie du Globe oferece livros, filmes e inclusive eventos no idioma de Pushkin. Desde a inauguração do Centre Spirituel et Culturel Orthodoxe Russe, em Quai Branly, os eventos russófonos em Paris são ainda mais numerosos. No cardápio de atividades desse centro costumam constar ainda cursos de idiomas. Além do mais, há alguns verões, Paris sedia o Festival du Film Russe: ocasião perfeita para descobrir pérolas da sétima arte russa em premières ou rever alguns clássicos soviéticos atemporais.

Localizado no 8e arrondissement, o clube Raspoutine conta com uma decoração vermelho-escarlate bem cuidada, como revelam os detalhes em veludo e renda. Trata-se de uma verdadeira viagem ao tempo da Rússia czarista pré-revolucionária. Aliás, se você quiser beber com os turistas russos que aparecem por ali para festejar todas as noites, não cometa o erro de dizer na zdrowie (saúde). Isso é polonês, não russo! Na hora de brindar, os russos usam a preposição за (za), e não на (na). За здоровье (za zdrovie) é, portanto, mais adequado. Se bem que, na verdade, os russos costumam brindar за тебя (za tebya, a você), за нас (za nass, a nós), за встречу (za vstrechu, ao nosso encontro) ou за дружбу (za druzhbu, à amizade). Ou seja, é possível brindar a qualquer coisa, desde que seja com a preposição за. Use sua criatividade!

Para treinar sua pronúncia em russo, vale a pena ir até o Café Pouchkine, na place de la Madeleine, que serve um excelente chá acompanhado de doces incríveis. Você pode ainda comprar caviar na Petrossian, perto de Les Invalides, ou a seleção de pelmenis (raviólis russos) da Cantine des Tsars, a poucos passos de Châtelet.

Existe alguma relação entre Le Kremlin-Bicêtre e a Praça Vermelha de Moscou?  Você já deve ter se perguntado sobre as origens do nome Kremlin-Bicêtre, uma cidade nos subúrbios ao sul de Paris. Teria esse nome alguma coisa a ver com o edifício moscovita? Para solucionar o mistério, precisamos voltar atrás no tempo, mais precisamente a 1812. Naquele ano, após invadirem a Rússia para lutar contra o czar Alexandre I, as tropas francesas lideradas por Napoleão Bonaparte foram derrotadas e forçadas a voltar a Paris. Vários soldados feridos foram encaminhados ao hospital de Bicêtre. Na mesma época, um comerciante de vinhos decidiu abrir uma taverna ali pelas redondezas, à qual deu o nome de Au sergent du Kremlin. Os soldados gostavam tanto de se encontrar nesse local que o bairro acabou recebendo o nome de Kremlin.  Anos mais tarde, a cidade passou a ser chamada de Le Kremlin-Bicêtre. Aliás, Kremlin (Кремль, em russo) é uma palavra genérica para designar uma fortaleza. Fora de Moscou, há um Kremlin em Kazan, em Nizhny Novgorod e em outras cidades russas.

Você quer aprender francês com o app da Babbel? É fácil e divertido.
COMECE AGORA!
Compartilhar: