Fale um idioma como sempre sonhou

Aprenda idiomas como nunca. Baixe o aplicativo gratuitamente!

Escolha um idioma – a primeira lição de cada curso é grátis!

Game Of Tongues — As línguas fictícias de Game Of Thrones

Quais são os idiomas falados no universo de Game of Thrones? Como eles foram criados e qual seriam os seus equivalentes no nosso mundo? Vamos dar uma olhada.

Escrito por Katrin Sperling

©HBO

A sexta temporada de Game of Thrones estreia no dia 24 de abril pela HBO – um evento esperado ansiosamente por uma legião de fãs ao redor do mundo. O sucesso da série se deve, em parte, ao fato de que seus criadores investem muito nos detalhes: desde os maravilhosos figurinos bordados à mão, aos elaborados penteados trançados e até as tortas decoradas com luxuosidade – a série vai fundo na hora de criar um mundo autêntico com pessoas de carne e osso que existem no contexto de suas culturas.

E, uma grande parte da cultura é o idioma, claro. O livro no qual a série é baseada, A Song of Ice and Fire de George R.R Martin, menciona frequentemente que as pessoas falam diversas línguas, e grande parte dos diálogos estão supostamente nesses idiomas. No entanto, exceto por algumas palavras (em sua maioria títulos e nomes), os diálogos são na verdade escritos em inglês. Os escritores que tiveram a tarefa de adaptar o romance para a TV se depararam com o problema de escrever diálogos em idiomas que não existiam. Esse problema se tornou aparente já no primeiro episódio onde Daenarys se casa dentro do clã Dothraki. Com o foco na autenticidade, os produtores do seriado, David Benioff e Daniel Brett Weiss, decidiram pela criação de um idioma para não ter que mostrar os Dothrakis falando inglês com um forte sotaque. Eles também abandonaram a ideia de usar sons aleatórios que imitariam termos em Dothraki dos livros, o que poderia soar como uma língua inventada. Portanto, a HBO e a Sociedade de Criações de Idiomas (Language Creation Society), que é especializada na criação de línguas construídas, decidiu fazer um concurso para determinar qual dos seus membros iria criar a língua Dothraki.

Entra então em cena David J. Peterson. O linguista e cofundador da Sociedade de Criação de Línguas se jogou na tarefa e criou um diagrama completo da língua Dothraki com uma gramática funcional e quase 2000 palavras. (Aliás, os rascunhos iniciais de Peterson da língua Dothraki foram escritos em um caderninho do Ursinho Pooh – lembre disso quando você assistir ao seriado e ouvir Khal Drogo falando).

Peterson abordou o processo criativo de um ponto de vista antropológico, levando em consideração a história, geografia e cultura das pessoas que falavam a língua – por exemplo, não há palavras para “obrigado” e “trono” em Dothraki, e se você quiser insultar alguém, você pode dizer que essa pessoa “caminha como um pequeno menino”. Com isso usa-se o caminhar como a parte mais ofensiva do insulto em uma cultura de cavaleiros. Essa abordagem antropológica e profunda (construir uma frase pode levar de 30 minutos a 2 horas e meia) levou Peterson a ser o consultor de idiomas da série. Os melhores exemplos do seu trabalho, Dothraki e Valiriano, podem ser ouvidos em inúmeras cenas ao longo do seriado. Mas, e quanto a outras línguas do universo de Game of Thrones? Vamos dar uma olhada nos idiomas de Westeros, Essos e Sothoryos, os três continentes do Mundo Conhecido de A Song of Ice and Fire.

Os idiomas em Westeros

Westeros é o continente onde a maior parte da ação acontece em Game of Thrones. Como o seu nome sugere, o continente é localizado no oeste do Mundo Conhecido. Apesar de ser mais ou menos do mesmo tamanho da América do Sul, Westeros é regido por uma única entidade política conhecida como Os Sete Reinos.

A língua comum dos Andals

A Língua Comum é falada em grande parte de Westeros e é representada em inglês nos livros e na série, e o desenvolvimento das duas línguas também é similar: A Língua Comum foi introduzida pelos Andals quando eles invadiram Westeros há seis mil anos – um evento que lembra a invasão das Ilhas Britânicas pelos anglo-saxões, jutos e frisões no meio do século V até meados do século VII. A invasão dos Andals, junto com a Língua Comum, foi inicialmente feita fora do norte do continente, portanto ao norte da Muralha (Muralha de Adriano pessoal?) a Língua Velha prevaleceu num primeiro momento.

Ao longo dos séculos, a Língua Comum parece ter se desenvolvido em uma língua de contato, por isso, muitas pessoas fora de Westeros a conhecem também – um desenrolar que pode ser paralelo ao inglês como a língua comum em nosso mundo.

A Língua Comum permaneceu relativamente uniforme ao longo dos Sete Reinos, mesmo que muitos atores tenham decidido adotar sotaques que variam do inglês do norte até o sul, e às vezes sotaques continentais, dependendo se seus personagens vêm do Norte ou do Sul de Westeros.

A Língua Velha dos Primeiros Homens

Os falantes mais proeminentes: Os Wildlings (selvagens), quando não falam a Língua Comum.
Exemplo: Lokh doysen bar thol kifos rukh? - que diabos você está olhando? (Na verdade nós nunca ouvimos a língua velha na série, portanto essa frase foi reconstruída de um exemplo da Grande Língua).

Antes de ser substituída pela Língua Comum, a Língua Velha dos Primeiros Homens era falada em toda Westeros. Nos dias presentes, ainda é usada ao Norte da Muralha pela maioria dos Wildlings, mesmo que metade deles também saiba a Língua Comum (não está especificado qual das duas é a materna).

A Língua Velha é a única língua que existe além da Muralha nos livros. Em contraste a isso, na série de TV, Mance Rayder afirmou que os diversos clãns de wildlings em seu exército falam sete línguas diferentes. Por isso pode-se assumir que o que é chamado de “A Língua Velha” por estrangeiros é na verdade uma família de dialetos que se divergiu tanto que cada um poderia ser classificado com uma língua diferente.

A Língua Velha tem uma base runa como sistema de escrita que parece bastante com as runas usadas por tribos germânicas, mas ela não foi usada para mais nada além de marcar túmulos.

Mag Nuk, A Grande Língua

Os falantes mais proeminentes: Os gigantes, como o líder Mag Mar Tun Doh Weg (“Mag, o poderoso”).
Exemplo: Lokh kif rukh? — "O que você está olhando?"

“A Grande Língua” é um pidgin da língua velha conhecido como Mag Nuk e é falada pelos gigantes que vivem ao norte da Muralha. Mag Nuk parece ser uma versão extremamente simplificada da Língua Velha que não tem declinação de substantivos, plural ou tempos verbais, mesmo as palavras que consistem em mais de uma sílaba (compare as duas frases dadas na velha e grande língua). Portanto, se você está pensando em aprender uma das línguas do universo de Game of Thrones, Mag Nuk parece ser uma escolha fácil do ponto de vista da gramática. Talvez seja difícil achar um gigante que queira lhe ensinar neste caso…

Skroth

Os falantes mais proeminentes: Os White Walkers, também conhecidos como Os Outros


Obviamente, se você se deparar com alguns dos White Walkers, você terá maiores preocupações do que estudar a língua deles. Alguns dos mais zelosos e corajosos linguistas de antigamente parecem tê-lo feito mesmo assim, e por isso agora temos alguns restos de lendas que nos dizem um pouco sobre como os White Walkers falam: o idioma deles é conhecido como Skroth. Aparentemente soa como um quebrar de gelo, embora exista uma quantidade relativamente grande de ruídos e grunhidos no seriado também.

E, mesmo que Peterson tenha de fato criado uma língua para os White Walkers, ela não foi realmente usada nas telinhas. Em vez disso, sons reais de gelo se quebrando foram utilizados pelo Designer de Som Peter Brown para as falas dos White Walkers.

Hodor

O falante mais proeminente: Hodor
Exemplo: Hodor pode significar praticamente tudo, dependendo do contexto

Está bem, nós não pudemos deixar essa de fora. Falando estritamente, Hodor é uma palavra e não uma língua. O único falante de Hodor é Hodor, o simples criado da Casa Stark que carrega Bran em suas costas. O nome real de Hodor é Walder, mas todos o chamam pela sua fala mais conhecida.

As línguas em Essos

Essos é uma terra imensa localizada ao leste de Westeros, que se estende para dentro do distante leste do Mundo Conhecido – tão longe que, de fato, nem foi realmente mapeada. As Cidades Livres, o mar Dothraki e as cidades da Baía dos Escravos são localizadas em Essos. E mesmo até mais distante para o leste de Essos, Asshai e as Terras da Sombra podem ser encontradas. Em contraste com Westeros, várias línguas são faladas em Essos.

Línguas Valirianas

Alto Valiriano

Falantes mais proeminentes: Daenerys, da casa Targaryen, a primeira de seu nome, rainha de Meereen, Rainha de Andals, de Rhoynar e dos Primeiros Homens, também conhecida como Khaleesi.


Exemplos: dracarys — "fogo de dragão,"
daor — "não,"
kessa — "sim,"
Valar morghulis — "Todos os homens devem morrer." (Quando usado como um cumprimento é respondido com a frase Valar dohaeris – “Todos os homens devem servir”)
zaldrizes — dragões

O Alto Valiriano era a língua dominante de Essos, mas parou de ser falada depois da destruição do reinado Valírio há 400 anos. Apenas uma das famílias poderosas dos senhores dos dragões sobreviveu e está na Essos de hoje: A Casa de Targaryen. Pode-se presumir de que os Targaryens continuaram a educar seus filhos em Alto Valiriano, o que explicaria o porquê de Daenarys falar ao comerciante de escravos, Kraznys mo Nakloz, que o Alto Valiriano é a sua língua materna antes de demonstrar dramaticamente o seu domínio do idioma falando para o seu dragão queimar o comerciante de escravos em valiriano.

Daenarys é possivelmente a única falante nativa que existe de Alto Valiriano, desde que a língua saiu do uso cotidiano depois da destruição de Valíria. Ela é usada como uma língua erudita por estudiosos de Essos e Westeros: Tyrion Lannister aprendeu o alto valiriano com seus tutores, e Samwell Tarly e Arya Stark foram educados nesse idioma. Melisandre e outros Padres Vermelhos usam a língua como sua língua comum.

É fácil ver os paralelos entre Latim e Alto Valiriano: as duas são línguas mortas de impérios derrotados e usadas por estudiosos, homens nobres educados e para propósitos clericais por todo o mundo medieval. Assim, não é surpresa que o autor George R. R Martin tenha afirmado que a velha Terra Valiriana é a sua fantasia do que seria a República Romana do nosso mundo.

Nos livros, Valiriano é descrito como “líquido”, enquanto o seu criador Peterson chama-o de uma língua descaradamente bonita. Em uma entrevista de “Produzindo Game of Thrones” publicada em maio de 2014, Peterson afirmou que a língua tem mais de 5000 palavras, uma base bastante sólida para uma boa conversa entre fãs. Se você quer aprender o Alto Valiriano, no entanto, prepare-se para ler alguns livros de gramática: o idioma tem quatro formas de gêneros gramaticais (mais sobre gêneros aqui), onde os substantivos são categorizados como lunares, solares, terrestres ou aquáticos. Os substantivos para humanos são tipicamente lunares, ocupações e partes do corpo são geralmente solares, comida e plantas são comumente terrestres, e líquidos são aquáticos.

Baixo Valiriano

O falante mais proeminente: Comandante dos Imaculados, Grey Worm (Verme Cinzento) (Peterson afirmou que Jacob Anderson, o ator que faz Grey Worm, fala o idioma melhor do que o seu criador jamais pôde, e que agora ele tenta imitar Anderson sempre que escreve mais para o seriado.)
Exemplo de Astapori baixo Valiriano: Dovoghedhy — "Imaculado"

Sem a influência central do império Valiriano, o discurso dos seus descendentes e ex-colônias mudaram em um grupo de línguas conhecido como o Baixo Valiriano, ou o Bastardo Valiriano. Como a Língua Velha, o que se refere ao Baixo Valiriano parece não ser uma língua, mas sim uma família de dialetos.

O desenvolvimento das línguas valirianas poderia ser comparado ao Latim que formou diversas línguas Romanas hoje.

Dothraki

Os falantes mais proeminentes: Khal Drogo (Peterson disse que os atores com a melhor pronúncia são Elyes Gabel, que faz o Rakharo, e Amrita Acharia, que faz Irri, a criada de Daenerys)


Exemplos: O nome da esposa de Peterson é Erin, então ele decidiu fazer disso a base do Dothraki. Ambos os verbos erinat (“ser boa”) e o substantivo erikak (“mulher, a boa”) derivam disso. Hash yer dothrae chek? — Literalmente "Você cavalga bem?", significa "Como você está?"

Como mencionado antes, Dothraki, o idioma falado pelas tribos nômades dos planaltos centrais de Essos, foi a primeira língua que foi inventada para Game of Thrones. Peterson disse que Dothraki não diferere muito do Russo e que ele também se inspirou no Árabe e seus “bonitos sons de suspiro”. O vocabulário Dothraki é intimamente ligado a Genghis Khan, correspondendo ao seu estilo de vida e experiências.

Os Dothraki são uma sociedade iletrada, mas desde que eles entraram em contato com livros ao longo do tempo, têm uma palavra para livro: timvir – emprestada do Alto Valiriano tembyr.

Asshai’i

O falante mais proeminente: Os encantamentos entoados de maegi Mirri Maz Duur estão em Asshai’i.

A Sacerdotisa Vermelha Melisandre é de Asshai, mas ainda não a vimos falar a língua. As terras metade lendárias do leste distante, Asshai e as Terras da Sombra, possuem a sua própria língua, que é usada em feitiços mágicos.

Peterson criou um rascunho cru da língua Asshai na primeira temporada, mas a única vez que nós ouvimos ela é quando Mirri Maz Duur, a maegi, usa magia com sangue para salvar a vida de Khal Drogo, e finalmente o deixa em estado vegetativo e pega o filho não nascido de Daenerys como um príncipe de sangue. No entanto, Peterson disse que as falas não são tão claras e que até ele mesmo não tem certeza se foram as que ele proveu para o seriado. Ele também afirmou que se tiver que renovar o seu trabalho na língua Asshai, provavelmente recomeçará do zero.

Lhazar

Falante mais proeminente: A maegi Mirri Maz Duur

Os Lhazarenos são pastores do continente de Essos. Mesmo que seja mencionado que eles tenham a sua própria língua, não existem exemplos disso nos livros além de nomes de pessoas e lugares. Lhazar é descrito como sendo uma língua melódica.

Qarth

Falante mais proeminente: Xaro Xhoan Daxos, o comerciante príncipe de Qarth, que tenta roubar os dragões de Daenarys.

Separado geograficamente do território Dothraki por um vasto deserto e nunca parte das terras valirianas, a cidade de Qarth possui seu idioma único.

A única coisa que sabemos sobre a língua Qarthena é que geralmente é muito difícil para estrangeiros a pronunciarem, razão pela qual os Qarthenos geralmente falam a língua comum aos comerciantes e visitantes de Westeros.

E as outras linguas de Sothoryos?

Sothoryos é o terceiro continente do Mundo Conhecido em A Song of Ice and Fire. É levemente análogo à Africa, como Essos seria a Eurásia. Uma vez que Sothoryos é em sua maioria inexplorado pelas pessoas dos Sete Reinos e das Cidades Livres, nós não sabemos muito sobre suas línguas. Mas quem sabe? Talvez a história nos leve até lá e nós ouviremos mais uma língua da mente de David J. Peterson.

traduzido por Sarah Luisa Santos
imagens: cortesia da HBO

Quer aprender um idioma um pouco mais… prático? A Babbel oferece 14 línguas do mundo real para você escolher!

Comece a aprender agora